Sagace Proibidão

image description
icon
image description
icon

Sagace Proibidão ( Rio de Janeiro, 1995 )
O artista carioca, Matheus Carneiro de Almeida Canuto, mais conhecido como Sagace Proibidão, apresenta seu trabalho em pinturas, grafite e arte digital. Sua pesquisa artística tem como fio condutor os elementos do cotidiano das periferias da cidade: a miséria, a violência, a truculência policial, e também as relações pessoais, a música e a arte como forma de liberdade.
Nascido no Morro do 48 em Bangu, vive e trabalha atualmente na Pavuna, Zona Norte do Rio de Janeiro. Neto de costureira, filho de artesã e de um funcionário do Jornal do Brasil, sempre teve a arte por perto.
Sagace começou desenhando na infância e evoluiu para o grafite, como uma forma de ocupar o território com seu próprio nome. Autodidata, nunca buscou ou se viu encaixado em cursos de arte ou em qualquer forma de academicismo. Trabalhou com design gráfico, encontrando no digital uma forma de contornar a falta de materiais de desenho.
Por achar pintura algo muito formal e nao se ver ocupando esse espaço, produziu sua primeira tela só em 2018, até logo vendê-la, o que quebrou essa impressão.
Atualmente produz telas em acrílico, caneta e spray, com muitas camadas. Cria personagens e situações, onde moradores de comunidades fogem de seus estigmas e quebram estereótipos.
Um elemento recorrente é a onça, que como símbolo de poder representa a mãe (apelidada de “dona onça”), e Deus.
Sagaz, tem o improviso, a liberdade e a atitude não só na arte, mas no estilo de vida.